Náutico negocia jogos no Cabo, em 2018

Jovem que causou colisão está ‘frio’ e ‘isolado’ no Cotel
RICARDINHO DENUNCIA SUPOSTAS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS COM RECURSOS PÚBLICOS DO CABO- PREV PARA UMA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA PRIVADA NO ESTADO DE SÃO PAULO

Náutico negocia jogos no Cabo, em 2018

Após realizar quatro partidas no Luiz Lacerda, em Caruaru, este ano pela Série B, o Náutico poderá mandar seus jogos em outro estádio fora do Recife em 2018. No caso, o Gileno de Carli, no Cabo de Santo Agostinho, com capacidade para 5.459 torcedores. Isso porque a diretoria alvirrubra procurou a prefeitura do município da Região Metropolitana do Recife (RMR) para um acordo a fim de utilizar o local enquanto as obras dos Aflitos não forem finalizadas, o que está previsto para abril. Assim, a partida de volta contra o Itabaiana-SE, no dia 12 de janeiro, pela fase classificatória da Copa do Nordeste, já deve ocorrer no local.
No acordo, o Náutico não pagará nenhum valor referente ao aluguel do estádio. No entanto, ficará responsável por uma reforma no gramado e também pelos custos de operação em dia de jogos. De acordo com o secretário de esportes do Cabo de Santo Agostinho, a chance do Alvirrubro passar a mandar seus jogos no Gileno de Carli são boas.
“Diria que são de 90%. Falta apenas acertar alguns detalhes. Será uma concessão e com isso o Náutico terá algumas contrapartidas, como cuidar de algumas partes de infraestrutura, além do custos em dia de jogos. Para o município será muito bom pois aquecerá a nossa economia já que o estádio receberá jogos de um grande clubem em campeonatos oficiais”, destacou o secretário.
Superesportes também procurou o futuro presidente do Náutico, Edno Melo, mas ele não atendeu às ligações. Por sua vez, o vice de futebol e futuro vice executivo, Diógenes Braga, foi sucinto. “Existe uma conversa boa com o pessoal do Cabo. É só o que eu posso dizer”, relatou