Ministro Fernando Filho entrega carta de desfiliação ao PSB

A previsão de alta hoje para Temer
MULHER ATEIA FOGO NA PRÓPRIA CASA E É QUASE LINCHADA EM PONTEZINHA

Ministro Fernando Filho entrega carta de desfiliação ao PSB

O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, entregou na manhã desta quartafeira,
25, seu pedido de desfiliação ao PSB. A informação foi confirmada pelo partido e pela
assessoria do pernambucano.

Já existia a possibilidade de ele ser expulso da sigla por permanecer
apoiando o governo Michel Temer, após o PSB virar oposição. “Ajustes
como este são necessários em partidos que não querem se descaracterizar
e desmerecer sua história”, disse o presidente do PSB, Carlos Siqueira.

O ministro foi exonerado na última semana para retomar seu mandato na
Câmara e ampliar a base de apoio a Michel Temer na votação da segunda
denúncia em plenário. Sob ameaças de punição do partido, os deputados
dissidentes decidiram se desligar do PSB para manter o voto favorável ao
governo em plenário.

Na carta atesta-se que a saída se deve a “incompatibilidade política, ideológica e programática”. À
reportagem, a assessoria do ministro diz que ele não vai se pronunciar por hora. Já o PSB afirma
que não vai pedir o mandato de deputado federal de Fernando Filho. O pai do ministro, o senador
Fernando Bezerra Coelho também saiu do PSB, em setembro, e se filiou ao PMDB de Temer

Outros quatro deputados já tinham encaminhado seus pedidos de desfiliação ao PSB: Tereza
Cristina (MS), Fábio Garcia (MT), Danilo Forte (CE), e Adilton Sachetti (MT). Com as cartas
entregues, a reunião da próxima sexta-feira, que iria discutir a possível expulsão dos parlamentares
está cancelada.

Os deputados fazem parte da ala “rebelde” do PSB, mais alinhada ao governo Temer. Em seu
reposicionamento à esquerda, o partido ‘abriu fogo’ contra o grupo de 14 parlamentares, que foi
muito cortejado pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e até mesmo por Temer.

O racha ficou mais evidente na votação da primeira denúncia contra o presidente Michel Temer,
quando dois deputados do partido votaram a favor de Temer na Comissão de Constituição, Justiça e
Cidadania (CCJ) e no plenário. Semana passada, a deputada Tereza Cristina foi destituída da
condição de líder do partido na Câmara. Assumiu em seu lugar, o deputado Júlio Delgado (PSBMG),
que mudou os integrantes da CCJ para garantir votos favoráveis à segunda denúncia contra
Temer.

MINISTRO PODE MIGRAR PARA O DEM

Nos bastidores se cogita que Fernando Filho deve migrar para o DEM. Próximo do presidente da
Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Bezerra Filho pode disputar o governo de Pernambuco em 2018.

Para isso, ele ainda deve buscar apoio dos ministros da Educação,
Mendonça Filho (DEM), e das Cidades, Bruno Araujo (PSDB), que estarão
no palanque de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB).