Médico é acusado de estuprar paciente dentro da UPA na Imbiribeira

Disputa pela presidência do MDB de PE atrapalha projeto de Fernando Bezerra
Pernambuco já registrou 424 assaltos a ônibus este ano

Médico é acusado de estuprar paciente dentro da UPA na Imbiribeira

A Polícia Civil de Pernambuco investiga uma denúncia de estupro que teria sido cometido por um médico contra uma paciente dentro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Imbiribeira, na zona sul do Recife. De acordo com a jovem de 18 anos, o profissional cometeu o crime no consultório da unidade de saúde, onde a vítima procurava atendimento.

Segundo a denúncia registrada pela Delegacia da Mulher de Santo Amaro, o crime aconteceu por volta das 8h da quarta-feira (21). A jovem afirmou que, após sofrer uma descarga elétrica dentro de casa, caiu e procurou a UPA sentindo dores nas costas e na coluna. Na unidade, o médico traumatologista teria feito o exame inicial e pedido um raio-x.

Quando ela voltou com as imagens, o médico teria passado dois pacientes para depois atendê-la.

Ao entrar na sala de atendimento, segundo a jovem, o médico teria passado a mão no corpo da paciente e pedido para que ela realizasse movimentos, como permanecer agachada com as mãos no chão. Após ser questionado pela paciente que havia estranhado o atendimento, o médico teria dito que os movimentos seriam um procedimento padrão daquele tipo de atendimento.

Ainda dentro da sala, segundo a denúncia, o médico teria abaixado o short da paciente e pedido para ela segurar a porta, que estava sem o trinco. Aí, realizou a penetração. Ainda conforme relato feito durante a denúncia, o homem ejaculou nas nádegas da mulher. Após o crime, o médico teria limpado a paciente e ainda prescreveu medicamentos para a jovem.

Após sair da UPA, a mulher relatou o que teria acontecido à mãe, que a aconselhou a procurar a polícia e realizar a denúncia. A jovem foi até a delegacia na noite de quinta-feira e realizou exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML).

Após receber a denúncia, os policiais telefonaram para a UPA e constataram que o médico não estaria mais na unidade de saúde, o que impediu o registro do flagrante do crime. A mulher também não soube informar o nome do médico que teria cometido o estupro, mas apresentou a ficha de atendimento e o exame de Raio-X, o que confirma o atendimento dentro na unidade na manhã do dia em que o crime teria acontecido.

O caso foi registrado pelo delegado Jorge Ferreira do plantão da delegacia. A delegada Ana Elisa Gadêlha deve assumir as investigações para tentar localizar o médico que teria realizado o atendimento à jovem.

SES
A Secretaria Estadual de Saúde informou que a UPA está à disposição dos órgãos competentes e vai apurar as informações para tomar as medidas cabíveis.