Bilionário compra vinho por US$ 400 mil. E gasta US$ 35 milhões para desmascarar fraude

Vampiro de Niterói quer sair de manicômio após 24 anos internado
Briga entre FBC e Raul Henry entra para os ‘anais’ da Alepe

Bilionário compra vinho por US$ 400 mil. E gasta US$ 35 milhões para desmascarar fraude

O bilionário americano Bill Koch gastou US$ 35 milhões para desmascarar fraudes de venda
vinhos. O barão de petróleo e gás caiu em um golpe de US$ 400 mil em um leilão da bebida.
Depois disso, não mediu esforços e não economizou recursos até solucionar o caso.

Tudo começou quando Koch comprou uma garrafa que supostamente havia pertencido ao expresidente
americano Thomas Jefferson. Grande colecionador de vinhos, o empresário pagou
nada menos que US$ 400 mil pela bebida.

Depois do leilão, o empresário contratou um investigador particular para descobrir a real
procedência da garrafa. Foi quando ele descobriu que não era verdadeira. Ele decidiu checar sua
coleção: Koch tem nada menos que 400 garrafas de procedência falsa.

“Há um código de silêncio neste meio”, afirmou o bilionário à rede americana CBS. “O falsificador
não quer que descubram que o vinho é falso, assim como a casa de leilão também não quer que
ninguém saiba disso. O próprio colecionador geralmente não quer ter certeza.”

Koch decidiu fazer diferente. Ele colocou seu investigador para trabalhar e rastreou um homem na
Alemanha responsável pela falsificação da garrafa de Thomas Jefferson. Ele o processou e
ganhou um julgamento de U$ 1 milhão.

Depois, Koch conseguiu rastrear grande parte dos fraudadores em Los Angeles. O bilionário
processou os homens e as casas de leilão que venderam os vinhos.

Mesmo com as vitórias nos tribunais, o processo, no entanto, não saiu muito barato para Koch.
“Eu gastei US$ 35 milhões fazendo isso”, contou o empresário, e justificou. “Eu era como um
cachorro atrás do osso, não ia desistir.”