Quatro dias antes de ser assassinada, Marielle Franco compartilhou denúncia contra ação de PMs

MC Loma é dispensada de programa de TV no Ceará após fazer exigências
PT perde o controle

Quatro dias antes de ser assassinada, Marielle Franco compartilhou denúncia contra ação de PMs

RIO — À frente de diversas causas em defesa de minorias, a vereadora Marielle Franco,
morta na noite desta quarta-feira, vinha denunciando o que classificava como truculência e
violência da Polícia Militar em operações na Favela de Acari, na Zona Norte do Rio, nos
últimos dias.

No sábado, ela compartilhou em seu perfil no Facebook o relato de que policiais do 41º
Batalhão da PM do Rio estariam aterrorizando moradores da comunidade.

“Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari
nesse momento (…) Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em
um valão. Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores. Acontece desde
sempre e com a intervenção ficou ainda pior”, denunciou Marielle pedindo que a imagem
postada pelo Coletivo Papo Reto fosse compartilhada por todos.

Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento.

O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari.

Nessa semana dois jovens foram mortos e jogados em um valão.

Hoje a polícia andou pelas ruas ameaçando os moradores.

Acontece desde sempre e com a intervenção ficou ainda pior.

Compartilhem essa imagem nas suas linhas do tempo e na capa do perfil!

No mesmo dia, ela postou a notícia do coletivo Fala Akari que também informava que
policiais do 41º BPM entraram na favela atirando com três caveirões, por volta das 6 da
manhã de sábado. E protestou: “CHEGA de esculachar a população. CHEGA de matar nossos
jovens”.

Sábado de terror em Acari!

O 41° batalhão é conhecido como Batalhão da Morte.

É assim que sempre operou a polícia militar do Río de Janeiro e agora opera ainda mais forte com a intervenção.

CHEGA de esculachar a população. 
CHEGA de matar nossos jovens.

Marielle Franco questionava a situação da segurança pública do estado e recentes casos de
violência na cidade do Rio. No Twitter, quando comentava a morte de mais um jovem no Rio,
a vereadora publicou: Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?