Ponte tem até hoje terça feira (24) para apresentar defesa no STJD

O radialista e jornalista Gleison Simeon será homenageado na macha 2018
Concurso oferece 63 vagas para a Compesa com salários de até R$ 6,7 mil

Ponte tem até hoje terça feira (24) para apresentar defesa no STJD

Termina nesta terça (24) o prazo para a Ponte Preta se manifestar sobre o imbróglio jurídico envolvendo uma suposta utilização irregular na Copa do Brasil do lateral-direito Igor e do atacante Júnior Santos. O Náutico apresentou uma denúncia junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) indicando que os atletas não poderiam ser escalados no confronto, já que ambos foram relacionados para um compromisso pela mesma competição, na primeira etapa, mas por outro clube, o Ituano. O STJD acatou o pedido dos alvirrubros e deu um limite de três dias úteis, iniciado na última quinta, para a resposta dos paulistas. Como ontem foi feriado estadual no Rio de Janeiro (Dia de São Jorge), não houve expediente na entidade, alongando o vencimento da decisão.

No sorteio da última sexta (21), na sede da CBF, ficou definida que a Ponte enfrentará o Flamengo na próxima fase. O primeiro jogo está marcado para o dia 2 de maio, no Moisés Lucarelli. A volta não tem data definida. Mas caso o Náutico ganhe a causa, os pernambucanos herdarão a vaga da Macaca nas oitavas de final, embolsando a quantia referente à classificação (R$ 2,4 milhões). Caso o STJD postergue a decisão por mais tempo, o departamento jurídico alvirrubro tentará suspender o duelo até que seja dado um veredito, evitando que a partida aconteça enquanto houver indefinição no caso.

O Náutico se baseia no artigo 45 do regulamento geral de competições (REC) da CBF, indicando que “a possibilidade de transferência de um atleta de um clube para outro na mesma competição deverá constar no REC. Em caso de omissão, fica vedada a participação do jogador no mesmo torneio por duas equipes distintas”.

Em sua defesa, a Ponte Preta afirma que o artigo 43 do regulamento deu permissão para a escalação da dupla, ao citar que “o fato de constar na súmula na qualidade de substituto não será computado para aferir o número máximo de partidas que um atleta pode fazer por determinado clube antes de se transferir para outro de mesma competição, na forma do respectivo REC. Se, na condição de substituto, o atleta vier a ser apenado pelo árbitro ou pela Justiça Desportiva, será considerada como partida disputada pelo infrator, para fins de quantificação do número máximo a que alude o caput deste artigo”. Tanto Igor como Júnior não atuaram pelo Ituano diante do Uberlândia, no dia 31 de janeiro, na fase inicial da Copa. Os atletas ficaram apenas no banco de reservas, não sofrendo advertências.

Fonte:Folhape