Malu Mader é dispensada da Globo após 35 anos

Prefeito de Catende é afastado suspeito de fraudar licitações
Polícia recupera Hilux do Cantor Jorge de Altinho

Malu Mader é dispensada da Globo após 35 anos

Estrela do primeiro time da Globo durante quase três décadas, a atriz Malu Mader
acaba de ser dispensada pela emissora. Seu contrato venceu em março e não foi
renovado. É a primeira vez que Malu, 51 anos, se vê desempregada desde que estreou
na Globo, em 1983, quando tinha apenas 16. Ela não trabalhou para nenhuma outra
TV nesses 35 anos.

Malu é mais uma “vítima” da nova política de elenco da Globo, que agora privilegia
medalhões e atores altamente produtivos, que emendam um trabalho no outro. A
emissora vem cortando custos para compensar a queda nas receitas com
publicidade e já dispensou nomes como Maitê Proença e Pedro Cardoso.

Procurada, a Globo confirmou que Malu não faz mais parte do quadro de funcionários
fixos da emissora, mas que ela pode fechar acordos por obra em próximos trabalhos.
Também enviou uma nota padrão para o desligamento de atores, na qual valoriza a
renovação de seu banco de talentos.

“O nosso quadro de atores fixo continua do mesmo tamanho e a renovação se dá na
composição, que obedece à maior diversidade, representatividade e à busca pelos
melhores talentos em todos os mercados”, informou a emissora.

Até dez anos atrás, a mulher do músico e escritor Tony Bellotto, guitarrista da banda
Titãs, se dava ao luxo de escolher os papéis que interpretaria. Depois de estourar em
sua primeira protagonista, na minissérie Anos Dourados (1986), Malu emplacou
praticamente um trabalho por ano até 1993.

Nas últimas duas décadas e meia, no entanto, ela se tornou uma atriz sabática, com
uma média de uma novela, série ou minissérie a cada três anos, fora participações
especiais. Seu último trabalho no horário mais nobre foi a protagonista de Celebridade,
atualmente em cartaz na sessão Vale a Pena Ver de Novo, com problemas no Ibope.

Malu Mader mudou sua postura nos últimos anos. Passou a aceitar papéis de
coadjuvante, como a Rosemere de Sangue Bom (2013) e a Rebeca de Haja Coração
(2015). Ela até arriscou uma carreira atrás das câmeras, trabalhando como assistente
de direção em O Rebu (2014).

Estrela relâmpago
Malu teve uma ascensão relâmpago na carreira de atriz: aos 15 anos, se inscreveu no
curso de teatro do Tablado, no Rio de Janeiro. No ano seguinte, estreou na Globo em
Eu Prometo (1983). Depois, foi escalada para fazer um papel coadjuvante em Corpo a
Corpo (1984), mas caiu nas graças de Gilberto Braga.

O autor apostou na atriz para protagonizar a minissérie Anos Dourados (1986), sobre o
cotidiano dos jovens de classe média na década de 1950. Com uma personagem doce,
mas determinada, Malu virou um rosto querido pelo público e começou a emendar
protagonistas: fez O Outro (1987), Fera Radical (1988) e Top Model (1989).

Na década de 1990, a parceria com Gilberto Braga deu novos frutos: Malu fez O Dono
do Mundo (1991), as minisséries Anos Rebeldes (1992) e Labirinto (1998), e a novela
Força de um Desejo (1999). Em 1997, estrelou A Justiceira, rara incursão da Globo nas
séries de ação _que foi encurtada por causa da gravidez da atriz.

Nos anos 2000, veio a última dobradinha com Braga, como a Maria Clara Diniz de
Celebridade (2003), e participações em séries como Os Normais (2001), A Grande
Família (2004), Guerra e Paz (2008) e até no Sítio do Picapau Amarelo
(2001). Também teve uma incursão pelo universo fantástico de Elizabeth Jhin como
uma bruxa na novela Eterna Magia (2007).

Acostumada a viver ricaças cheias de glamour, Malu se despiu da vaidade para viver
uma dona de casa comum em Sangue Bom (2013). Também abriu mão dos dramas
pesados para se jogar na comédia em Haja Coração (2016).

A atriz encerrou sua passagem pela Globo com uma participação em Malhação: Vidas
Brasileiras, em março, interpretando a mãe de um adolescente que foge de casa ao
presenciar uma briga dos pais. Antes, fez uma rápida aparição em Tempo de
Amar, recuperando a personagem que viveu em Força de um Desejo (1999).