Juiz eleitoral condena Carlos Santana e Pedro Neto por abuso de poder econômico em eleições

Safadão bate marca de 40 milhões de visualizações do clip “Romance Com Safadeza”
SINPC contesta o reajuste salarial anunciado pelo Prefeito Lula Cabral

Juiz eleitoral condena Carlos Santana e Pedro Neto por abuso de poder econômico em eleições

O Juiz eleitoral Eduardo José Loureiro Burichel, da 16ª Zona Eleitoral, condenou em despacho publicado no Diário Oficial Eletrônico do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) desta quinta-feira (03) o ex-prefeito do Ipojuca, Carlos Santana e o deputado Estadual Pedro Serafim Neto por captação irregular de sufrágio.  Ambos foram candidatos a prefeito e vice, respectivamente, nas eleições municipais de 2016 pela coligação “Ipojuca segue em frente”.

A denúncia foi feita pela coligação “A mudança começa agora”, que tinha como então candidato ao cargo de prefeito Romero Sales (PTB). Naquela eleição, marcada por polêmicas e acusações de ambas as chapas, o petebista, que disputou o pleito sub judice saiu vencedor das urnas, mas teve o registro de candidatura impugnada pela justiça.

O PTB de Ipojuca chegou a produzir um vídeo em que cestas básicas estariam sendo entregues na parte de trás dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do município em troca de compra de votos.

Em um comparativo entre o primeiro e o segundo semestre de 2016, a Justiça constatou um incremento em termos de despesas com cestas básicas no percentual de 238%.

Tanto Carlos Santana quanto Pedro Neto foram condenados ao pagamento de multa no valor de R$ 25 mil, além da inelegibilidade pelo período de oito anos. Porém, a condenação só entrará em vigor quando todos os recursos disponíveis forem esgotados. Ambos poderão recorrer da sentença.

O que dizem Carlos Santana e Pedro Neto 

Em relação ao processo, o deputado estadual Pedro Serafim Neto afirmou que seus advogados estão cuidando do processo, que ainda será julgado pelo tribunal colegiado do TRE-PE. Já Carlos Santana preferiu não comentar o caso.