Governo nega pensão a viúvo que casou com tia-avó de 91 anos

Se a maioria votar nulo, a eleição é cancelada e os candidatos, suspensos?
Mulher morre e filhas são baleadas após discussão em festa em Ipojuca

Governo nega pensão a viúvo que casou com tia-avó de 91 anos

O governo argentino negou pagar pensão ao viúvo Mauricio Ossola, de 26 anos, que era casado com Yolanda Torres, que morreu pouco mais de 1 ano após os dois subirem ao altar. O caso causou curiosidade porque Yolanda tinha 91 anos e era tia-avó do marido.

As informações são do jornal El Tribuno. A Administração Nacional de Segurança Social da Argentina (Anses) alega que os dois não tinham uma união legítima. O sistema julga que o homem quer receber uma aposentadoria que não lhe pertence. Mauricio, que pretende levar o caso aos tribunais, diz que, apesar da diferença de idade e grau de parentesco, o matrimônio respeitou a legislação do país.

“Yolanda insistiu que eu terminasse os estudos”, afirmou ele, dizendo que ela deu um apoio muito importante e que esse era seu último desejo. Os dois se casaram quando o rapaz tinha 23 anos.

Eles se uniram quando Mauricio estava prestes a largar os estudos. Ele foi criado pela tia-avó e se casou com ela em uma cerimônia simples no norte da província de Satta.

A legislação argentina prevê liberação da pensão no caso de os ganhos da pessoa falecida forem comprovados como único apoio financeiro do viúvo ou viúva. O caso não se aplica a Mauricio, uma vez que ele atua como advogado.

O rapaz afirmou amar a esposa falecida “da forma mais pura que é possível” e disse que “nosso casamento foi uma decisão nobre e legítima.