Ferreiras perdem queda de braço para Sebastião Oliveira

Homem é morto a tiros em Caetés, no Agreste
Cliente fiel! Neymar paga viagens e tem até contrato com cabeleireiro

Ferreiras perdem queda de braço para Sebastião Oliveira

Contando com o comando da prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, segundo maior colégio eleitoral do Estado, uma cadeira na Assembleia Legislativa e outra na Câmara Municipal do Recife, além de uma forte inserção no seguimento evangélico, a família Ferreira é sem dúvida um grupo que concentra um capital político/eleitoral significativo, o que tem levado a um de seus membros, o deputado estadual André Ferreira (PSC), ser lembrado como um nome competitivo para disputar o Senado.

Tendo como cabeças pensantes André e o seu irmão Anderson, prefeito de Jaboatão, o grupo tem como principal marca a ousadia. Com o comando do PSC nas mãos, o clã Ferreira estava concentrado na missão de destronar o deputado federal licenciado e atual secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, do comando estadual do PR para valorizar ainda mais o passe do grupo no meio político. Porém, a notícia de que o ex-deputado estadual Manoel Ferreira se desfiliou do Partido Republicano deixou claro de que a família Ferreira perdeu mais uma quebra de braço para Sebastião.

Nos bastidores políticos não é segredo de que o Palácio do Campo das Princesas não só torce para que o comando do Partido Republicano permaneça nas mãos de Sebastião, como também trabalhou pesado por isto. Embora algumas lideranças do PSB façam questão de lembrar o nome de André como possibilidade para concorrer a uma das vagas ao Senado na chapa do governador Paulo Câmara, a atitude não passa de puro jogo de cena, pois também é sabido que dentro do PSB ninguém estaria disposto a dar tamanho espaço para os Ferreiras.

Percebendo que dificilmente ampliará o seu espaço na Frente Popular, dado o favoritismo do Palácio por Sebastião Oliveira, é previsível que os Ferreiras escolham embarcar no projeto da Oposição. Lá deverão encontrar grandes chances de emplacar a vaga de vice-governador, uma vez que para o Senado existem nomes que possuem a preferência caso queiram concorrer, como é o caso de Bruno Araújo e Mendonça Filho.

Qual será o caminho a ser tomado pelos Ferreiras? Se submeterão a permanecer onde serão tratados como meros coadjuvantes ou buscarão o protagonismo junto com a oposição?

Fonte: Blog Ponto de Vista