Em nota oficial, Casa de Farinha rebate acusações da Polícia Civil e Ministério Público

PT denuncia à Polícia nomes de 10 suspeitos de atentado contra caravana de Lula
Homem é assassinado com golpes de faca em Serra Talhada

Em nota oficial, Casa de Farinha rebate acusações da Polícia Civil e Ministério Público

 

Veja a nota de esclarecimento da companhia

A Casa de Farinha, empresa que atua com transparência e retidão há 13 anos no fornecimento de alimentação coletiva em vários estados, a exemplo de São Paulo, Pernambuco e Bahia, com a colaboração de mais de 2 mil funcionários, e que está sob investigação da operação Ratatouille, deflagrada pelo Ministério Público de Pernambuco, Polícia Civil e Tribunal de Contas do Estado, esclarece que segue todas as normas de controle de qualidade e os padrões de segurança exigidos pelos órgãos sanitários municipais, estaduais e federais de fiscalização, a exemplo da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e da Secretaria de Educação do município.

A Casa de Farinha dispõe de todas as certidões e documentações exigidas para habilitação no ramo de refeições coletivas, e foi contratada pela Prefeitura Municipal do Cabo de Santo Agostinho para prestar serviços de fornecimento de “merenda escolar” por meio de regular processo licitatório em 2014, do qual sagrou-se vencedora.

Desde então, a Casa de Farinha vem cumprindo o contrato, com o rigor necessário.

Para garantir a qualidade das merendas, uma equipe de nutricionistas da Casa de Farinha visita periodicamente as escolas em que atua e realiza pesquisa mensal com os gestores. O índice de satisfação com a qualidade do serviço é de 97%.

A Casa de Farinha não tem qualquer relação, direta ou indireta, com o conjunto dos fatos em apuração, pautando sua atuação pela lei.

A empresa reitera seu compromisso com a boa prática na execução de seus contratos junto aos seus clientes, sendo a maior interessada na busca da verdade e no esclarecimento dos fatos, comprometendo-se a colaborar de forma irrestrita com todas as autoridades responsáveis pela apuração do caso.