Em ação de Denilson, Justiça ordena que TVs paguem cachês de Belo em juízo

Mulher morre e filhas são baleadas após discussão em festa em Ipojuca
O respeito às opiniões diferentes

Em ação de Denilson, Justiça ordena que TVs paguem cachês de Belo em juízo

A Justiça de São Paulo determinou que as principais emissoras de TVs do país (Globo, SBT,
Record, Bandeirantes, Gazeta e Rede TV!) depositem em juízo eventuais cachês para Belo. A
decisão judicial tem como base a ação movida pelo comentarista esportivo Denilson, que acusou o
cantor de rompimento de contrato comercial.

Denilson venceu o processo contra Belo (transitado em julgado).

“Visando a penhora para satisfação do crédito, oficiem-se as empresas Rede Globo, SBT, Record,
Bandeirantes, Gazeta e Rede TV!, determinando que efetuem o deposito judicial, à disposição
deste Juízo, de eventual crédito que o executado faça jus, por si ou como representante das
empresas das quais é sócio”, informou o juiz Carlos Mazza Melfi.

Além de comunicar as emissoras sobre o depósito em juízo de eventuais pagamentos, o Tribunal
de Justiça de São Paulo determinou o bloqueio do cachê de Belo em apresentação em São Paulo,
que ocorreu no domingo (05).

O UOL Esporte ligou na manhã desta segunda para o escritório do advogado de Belo, João
Demercian Filho, mas não conseguiu localizá-lo.

Denilson ganhou ação em 2004

Na Justiça, Denilson moveu ação em 2000 contra Belo. Em 2004, a Justiça determinou que
Denilson fosse indenizado por Belo. Não cabe mais recurso. O valor é de R$ 4,7 milhões. Com
correções, chega a R$ 5,8 milhões.

A disputa jurídica entre Denílson e Belo começou após o cantor deixar o grupo Soweto. O exjogador
havia comprado os direitos da banda de pagode em 1999, que tinha Belo como vocalista.

Mas o cantor deixou o grupo em 2000 para lançar carreira solo – o que fez com que Denilson
acionasse a Justiça cobrando um valor por quebra de contrato.