Cura da calvície? Cientistas criam pele capaz de produzir fios de cabelo

Temer é liberado de hospital após consultas cardiológica e urológica, diz Presidência
Atlético-MG retoma conversas com Sport e avança negociação por Rithely

Cura da calvície? Cientistas criam pele capaz de produzir fios de cabelo

Você gosta das suas madeixas e morre de medo de perdê-las? Ou já está com a cabeça
lisinha e tem saudades dos fios? A ciência poderá ajudar. Um estudo feito por
especialistas da Universidade de Medicina de Indiana, nos Estados Unidos, conseguiu
progredir na questão de manter os cabelos.

Usando células-tronco de camundongos, os cientistas conseguiram fazer crescer o que
eles apelidaram de “pele peluda”, segundo entrevista ao Daily Mail.

O nome pode não ser atraente, mas na realidade é apenas um tecido de pele
desenvolvido em laboratório que se parece mais com cabelos naturais do que qualquer
outro modelo anterior e que poderia ser usado como tratamento para acabar com a
calvície.

Mas não é só a notícia que é boa, a história por trás da descoberta também. O professor
Karl Koehler estava usando células-tronco para criar pequenas versões de órgãos reais,
conhecidos como organoides. Sua ideia era criar pequenas versões do ouvido interno,
em uma tentativa de curar a surdez. Porém, sem querer, ele notou que sua experiência
estava gerando células de pele.

Ele decidiu explorar a oportunidade e colocou folículos pilosos, as estruturas capazes de
produzir pelos, na pele – por que não? Assim, ele observou que um único pedacinho de
pele desenvolvida em cultura continuava formando camadas superiores e inferiores de
pele, o que mostrou que estava se desenvolvendo.

Para dar uma ideia aos leigos, Koehler explicou de um jeito mais simples: a pele se
desenvolve como uma bolinha e os folículos pilosos crescem para fora em todas as
direções, como se fossem aquela flor dente-de-leão.

É claro que novos testes ainda serão feitos, mas os cientistas estão otimistas e sentem
que as pesquisas para o fim da calvície deram um grande passo.