CNH digital vai valer em todo o Brasil em fevereiro; veja como é ter uma

Atlético-MG desiste da contratação de Rithely
NO CABO, SE CÂMARA APROVAR ALTERAÇÃO DE LEI, CARGOS COMISSIONADOS PODERÃO SER INDICADOS PELO PREFEITO PARA ASSUMIR PRESIDÊNCIA DO CABO-PREV

CNH digital vai valer em todo o Brasil em fevereiro; veja como é ter uma

Até o próximo dia 1º de fevereiro os Detrans de todos os 26 estados brasileiros e do Distrito Federal terão de
disponibilizar a versão digital da CNH, a chamada CNH-e, aos cidadãos habilitados. A partir da mesma data o
documento no celular poderá ser apresentado a autoridades de trânsito no lugar da Carteira Nacional de
Habilitação tradicional, de papel — que segue sendo emitida e válida.

Atualmente, oito estados (Acre, Alagoas, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Roraima, Rio Grande do
Sul, Tocantins) e o DF já emitem o documento eletrônico, cuja consulta é feita por celulares e tabletes por meio
de um app gratuito — e compatível com sistemas operacionais Apple iOS e Android.

UOL Carros falou com o engenheiro Fernando Lopes Maia, de Porto Alegre (RS), um dos primeiros usuários da
CNH-e, que topou contar como está sendo a experiência e autorizou a reprodução das imagens de seu
documento virtual para esta reportagem — claro, borramos as informações pessoais para proteção da
confidencialidade de Maia.

Como funciona?
“Vi na internet a notícia sobre a CNH eletrônica e, como o Detran do Rio Grande do Sul já aderiu, solicitei a
minha. Uso muito o celular, inclusive para fazer pagamentos sem usar dinheiro ou cartão”, afirmou Maia, que se
diz adepto de outras soluções online.

“Para mim, é muito mais lógico levar o celular em vez de uma carteira cheia de documentos, que você pode
perder e depois precisa tirar de novo. Se eu perder o telefone, posso facilmente bloqueá-lo e instalar de novo os
aplicativos em um novo”, apontou o engenheiro.

Convidado a apresentar sua CNH-e a UOL Carros, Maia disse que ainda não precisou apresentar a versão
digital da habilitação a autoridades de trânsito.

Segundo ele, o processo para solicitar a habilitação virtual levou apenas dois dias e foi algo “simples”, mas com
ressalvas. “O processo para solicitar é relativamente simples, mas meu pai, motoristas mais velhos ou cidadãos
menos acostumados com novas tecnologias, por exemplo, teriam alguma dificuldade”, relatou. Por quê?

Segundo Maia, falta um tutorial em linguagem simples.

“O Denatran tem as informações e o passo a passo em seu site oficial, mas falta um tutorial com dicas
‘mastigadas’ e interface amigável”, avaliou, afirmando que animações ou vídeos seriam bem-vindos.

É bom frisar que não adianta ter direito à CNH digital e não possuir um “certificado digital” — um protocolo
eletrônico que traz informações sobre identificação e histórico de contribuinte. É com esse certificado que
sistemas eletrônicos como o da CNH-e identificam cada cidadão, funcionando ele próprio como uma assinatura
virtual. Existem empresas que emitem o “certificado digital” (quem já tem um e-CPF, por exemplo, não precisa
de novo certificado), mas os próprios Detrans estaduais fazem o processo, com o comparecimento presencial.

“Fiz por meio do CPF eletrônico, que é pago e oferecido por empresas certificadoras, mas tem anuidade de
aproximadamente R$ 200. Depois de informar o CPF, recebi um código para ativar o aplicativo e depois criei
uma senha que preciso preencher cada vez que acesso a CNH-e”, explicou Maia.

De fato, parece ser um processo um tanto quanto criterioso, sobretudo para quem não está acostumado ao
ambiente digital. O que fazer? Primeiro, vale salientar que a CNH-e não é obrigatória, ou seja, se você não
quiser, não precisa aderir. De toda forma, UOL Carros lista o beabá para quem quiser fazer?

Como pedir a CNH-e? E o app?
1. Verifique se sua CNH de papel foi emitida a partir de maio de 2017. Se sim, ela deverá possuir um “QR Code”
— uma espécie de código de barras em formato quadrado — no verso. Se tiver, vá ao próximo passo. Se não
tiver, aguarde pelo momento da renovação.

2. Tem o QR Code na CNH? Faça o cadastro no Portal de Serviços do Denatran.

3. Fez o cadastro? Baixe o aplicativo da CNH Digital na iTunes (iOS) ou PlayStore (Android).

4. Baixou? Verifique se você já possui o “certificado digital” pelo app. Não tem? Então visite o Detran de emissão
da sua CNH impressa e garanta o cadastro. Outra opção é emitir junto a empresas que prestam este tipo de
serviço. Quem tem e-CPF, por exemplo, já possui o certificado e não precisa de outro..

5. Com todos os itens anteriores garantidos, solicite o código de ativação para a CNH Digital, que será enviado
por e-mail.

6. No aplicativo, use a senha de acesso ao Portal do Denatran (o login é seu CPF) e digite o código de ativação.

7. O app vai pedir a criação de uma senha simples, de quatro números, que o usuário precisará digitar toda vez
que acessar a CNH-e.

Ufa! Após todos esses passos, o aplicativo exibe uma reprodução da frente, verso e do “QR Code” da CNH.
Esta exibição é que permite ao motorista deixar a CNH de papel em casa.

E aí, Denatran?
UOL Carros também consultou o Denatran para tirar dúvidas em relação à carteira eletrônica.

Uma deles se refere aos motoristas que estejam com a CNH suspensa ou cassada. De acordo com o órgão,
documentos nessas condições serão bloqueados a cada atualização do app. UOL Carrosestranhou a ausência,
por exemplo, a ausência de uma tela do aplicativo que indique o total de pontos do motorista. Por ora, essa
informação ainda precisa ser verificada junto aos portais dos Detrans, o que gera trabalho extra para o motorista
que quiser se inteirar de sua situação.

Quando será necessário renovar a e-CNH? Segundo a entidade, o processo de renovação segue o mesmo. E
isso também vale para quem está tirando a CNH pela primeira vez, já que atualmente é exigido que o motorista
tenha a versão impressa para emitir a digital.

Apenas “futuramente”, nas palavras do Denatran, o motorista vai poder escolher apenas a CNH-e como
documento único de habilitação.