Anão Marquinhos vira missionário de igreja evangélica

Mesmo condenado, Lula ainda pode ser candidato
Boa Esporte define Daniel Paulista como treinador e Chicão como auxiliar

Anão Marquinhos vira missionário de igreja evangélica

Na geladeira desde fevereiro e sem perspectiva de trabalho na Record, o humorista
Marcos Batista dos Santos (que se apresenta com o nome Anão Marquinhos) tem
dedicado seu tempo livre para atuar como missionário da Assembleia de Deus. Fora do
ar desde que o Domingo Show deixou de ser ao vivo e em estúdio, ele tem visitado
diferentes unidades da igreja evangélica pelo país e faz pregações durante os cultos,
dando o seu ponto de vista sobre a Bíblia.

“Sempre fiz isso, e desde 2011 eu já praticava isso. Mas quando eu entrei na TV, eu
me dedicava mais à TV. E quando eu tinha um ou dois dias de descanso, eu
aproveitava para levar a palavra de Deus. Sempre ministrei. E agora eu estou indo
bastante”, diz Marquinhos ao Notícias da TV.

O humorista apareceu pela primeira vez na TV em 2011, como assistente de palco de
Geraldo Luís no Balanço Geral. Quando o apresentador migrou para o fim de semana
e começou a comandar o Domingo Show, levou o fiel escudeiro à tiracolo.

Como a atração passou por uma reformulação, perdendo metade de sua duração e
deixando de ter auditório, Marquinhos ficou sem função e foi parar na geladeira. Sua
última aparição na tela da Record foi no dia 4 de fevereiro.

Ele tentou retornar às edições de sábado do Balanço Geral ao lado do Garçom Maluco,
personagem interpretado por Marcos Paulo (que também atua como manipulador da
Cobra Judite). A ideia era que eles fizessem reportagens juntos, entrevistando
famosos, mas a emissora não aprovou o projeto.

“Se estou à disposição, eu estou trabalhando. O que a emissora pedir para eu fazer,
vou fazer. Se quiserem me colocar em outro programa, estou à disposição. Eu fico
estudando, bolando ideias, para poder estudar e apresentar para eles”, conta.

Em nota, a Record diz que Marcos Batista é funcionário da casa e “está trabalhando
em projetos futuros que oportunamente serão divulgados”.

Ataques dos haters
Desde que intensificou suas publicações no Instagram mostrando o trabalho como
missionário, Marquinhos passou a ser atacado por parte de seus seguidores. Entre os
comentários negativos, dizem que ele foi trabalhar na igreja para “roubar dinheiro do
povo”.

“Tem umas pessoas em rede social que fica falando que eu saí da Record e que estou
ganhando dinheiro como pastor, roubando dinheiro da igreja e enganando os trouxas.
Mas não é isso, eu estou levando a minha mensagem de fé para as pessoas
necessitadas e ajudando aqueles que precisam”, afirma.

O ex-assistente de palco de Geraldo Luís diz que ser missionário não é um emprego e
que ele não ganha cachê para fazer suas pregações, mas admite que pede uma
colaboração em dinheiro dos fiéis para que ele possa fazer caridade.

“Não é um trabalho. Quando você planta uma boa semente, você é abençoado. Se
você semeia o mal, vai colher o mal. Se estou indo na igreja levar a palavra de Deus,
estou semeando o bem. Aí eu falo para as pessoas que eu preciso que elas me
ajudem a levar a semente para quem precisa. As pessoas me ofertam, vou no
mercado, compro cesta básica e vou doar nas comunidades”, explica.

“Inclusive agora, na Páscoa, fui numa igreja, pedi uma oferta, e o dinheiro que peguei
fui no mercado e comprei um monte de ovos de Páscoa e saí doando para as crianças.
Isso eu não postei nas redes sociais, não comentei com ninguém. Enquanto muitos
criticam, dizem que estou roubando, eu não estou! Quem conhece o meu coração é
Deus”, finaliza.

Fonte: Daniel Castro