Adolescentes que não largam o telefone são mais infelizes, diz estudo

Ciro Gomes almoça com Paulo Câmara nesta terça
Controladora de Voo morta em queda do Globocop foi convidada ontem

Adolescentes que não largam o telefone são mais infelizes, diz estudo

Teenagers Using Mobile Phones

Não tirar os olhos do smartphone pode causar um grave problema: a
infelicidade. Pelo menos é o que aponta uma pesquisa da Universidade de San
Diego, nos Estados Unidos.

Estudantes das 8ª, 10ª e 12ª série de escolas de todo o território norteamericano
foram questionados sobre o tempo que passam em frente a
telefones, tablets e computadores, assim como suas interações sociais e
percepção de felicidade.

O resultado foi que os que mais jogavam no computador, usavam mídias sociais
e se comunicavam pelos “devices” se sentiam mais infelizes que os que
investiam em atividades como esportes, leitura de jornais e interação social cara
a cara.

Segundo o psicólogo Jean M. Twenge, autor do estudo, um dado curioso é que
cortar “a vida virtual” não aumenta o nível de felicidade. Os mais felizes
acessavam as redes sociais por menos de uma hora por dia.

“O surgimento dos smartphones é a explicação mais plausível para a redução
do bem-estar psicológico entre os adolescentes entre 2012 e 2016”, aponta
Twenge.